Erick Ferreira é especializado na restauração de imagens de arte sacra.

ENGLISH VERSION

Erick Ferreira

O pai de Erick começou a trabalhar com restauração no final da década de 1950. O trabalho de Nilton era eclético, restaurando uma grande variedade de peças como mobiliário, pinturas, porcelanas, esculturas, marfins e, principalmente, arte sacra. Desde pequeno, Erick era estimulado por seu pai a desenhar, pintar e esculpir.

Aos 15 anos, Erick começou a trabalhar no Machado Antiguidades, um dos mais tradicionais antiquários do Rio de Janeiro e especialista em arte sacra. No final da década de 1990, com o falecimento do pai, Erick decidiu se dedicar à restauração.

O início do trabalho de restauração

Erick se identificou com arte sacra, principalmente com a parte de imaginária, por influência do seu pai e do Machado Antiguidades. Foi assim que ele tomou a decisão de se especializar na restauração de imagens. Erick passou a se aprofundar no assunto formando uma biblioteca dedicada ao tema, viajando, fazendo cursos e participando de congressos. Ele também participou de projetos de restauração de igrejas onde pôde ver o desenvolvimento de atividades interdisciplinares como entalhamento, pintura e douramento.

Para restaurar é preciso conhecer os estilos e a história

Erick ressalta que para desenvolver a restauração de imagens é preciso identificar suas origens, períodos e escultores. Segundo ele, as assinaturas dos escultores estão no jeito em que cada peça foi trabalhada.

Erick destaca que as escolas brasileiras da Bahia e de Minas Gerais foram as mais significativas em termos de produção, principalmente nos séculos XVIII e XIX. Na Bahia, até o início do século XIX, foram produzidas imagens clássicas do Barroco e Rococó, em sua maioria marcadas pela policromia com cores mais vibrantes. A produção de Minas foi caracterizada por talhas vivas e expressões faciais marcantes. Diferente da escola baiana, as imagens mineiras possuem, em grande parte, menor emprego de douramento e predominância de tons terrosos como vermelho e ocre.

A produção do Rio de Janeiro foi marcada por escultores portugueses que vieram morar na cidade. Erick cita como exemplo o português Francisco Xavier de Brito que no Rio participou da construção da Igreja de São Francisco da Penitência e, posteriormente, trabalhou na construção de uma das primeiras igrejas de estilo barroco de Minas, a Igreja Matriz na Nossa Senhora do Pilar, localizada em Ouro Preto. Assim como Xavier Brito, existem outros exemplos como Francisco Vieira Servas.

Erick também cita o próprio Aleijadinho, filho do escultor e arquiteto português, Manuel Francisco Lisboa. Nascido em Ouro Preto, Minas Gerais, Aleijadinho, cujo nome era Antônio Francisco Lisboa, teve a influência de entalhadores e escultores portugueses, como o mencionado Xavier de Brito, e diversas referências como missais e gravuras bíblicas do barroco bávaro.

Segundo Erick, os estilos, suas evoluções e a história das imagens devem ser compreendidos para serem preservados através da restauração.

Restaurar respeitando as marcas do tempo

Erick esclarece que a restauração de imagens deve ser um processo pontual e que respeite as marcas do tempo. O trabalho deve ser feito com materiais e produtos adequados, compatíveis, inertes e reversíveis.

Imagens que ficavam em oratórios e protegidas por redomas chegaram aos dias atuais em bom estado de conservação. As imagens que eram manipuladas por devotos podem apresentar diversas características como a cor preta em decorrência da impregnação da fuligem das velas ou da gordura das cozinhas com fogões a lenha.

O trabalho desenvolvido por Erick tem como premissa remover o que não é da peça. Muitas vezes a imagem retorna ao estado original com a remoção de um verniz oxidado ou de camadas de pinturas feitas sobre a original.

Com relação a reintegração volumétrica, Erick esclarece que é preciso analisar com cuidado cada situação. Caso a imagem tenha chegado aos dias atuais sem uma parte, uma mão por exemplo, isso faz parte da história da imagem. Existem casos em que pode ser feito a restauração museológica, ou seja, a recomposição da talha desde que fique evidenciado.

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-4

Nossa Senhora do Rosário, Mestre Oliveira, madeira policromada, Minas Gerais, século XVIII/XIX. Processo de restauração em andamento. A imagem passará por decapagem química para remoção de repintura e por reintegração volumétrica e pictórica (base e manto)

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-5

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-8

Nossa Senhora das Dores, madeira policromada, Minas Gerais, século XVIII. Processo de restauração em andamento. A imagem passará por um processo de fixação, consolidação e higienização da policromia; reintegração volumétrica e pictórica (base e mão) e reposicionamento dos olhos

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-2

Nossa Senhora das Dores, madeira policromada, Minas Gerais, século XVIII. Processo de restauração em andamento. A imagem passará por um processo de fixação, consolidação e higienização da policromia; reintegração volumétrica e pictórica (base e mão) e reposicionamento dos olhos

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-3

Nossa Senhora da Conceição, madeira policromada, São Paulo, século XVII/XVIII. Processo de restauração em andamento. A imagem passará por processo de decapagem química para remoção de repintura e será realizada reintegração pictórica

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-6

Crucifixo, Mestre Piranga, madeira policromada, Minas Gerais, século XVIII. Processo de restauração concluído que consistiu na decapação química para remoção da repintura da carnação

reliquiano-erick-ferreira-restauracao-imagens-imaginaria-de-arte-sacra-7

Crucifixo, Mestre Piranga, madeira policromada, Minas Gerais, século XVIII. Processo de restauração concluído que consistiu na decapação química para remoção da repintura da carnação

Erick Ferreira

Rio de Janeiro-RJ

Telefone: 55-21-96572-3214


ERICK FERREIRA: RESTORATION OF IMAGES OF SACRED ART

Erick Ferreira is specialized in restoring images of sacred art.

Erick Ferreira

Erick’s father began working with restoration in the late 1950s. Nilton’s work was eclectic, restoring a wide variety of pieces such as furniture, paintings, porcelain, sculptures, ivories and, most importantly, sacred art. From a young age, Erick was encouraged by his father to draw, paint and sculpt.

At age 15, Erick began working at Machado Antiques, one of the most traditional antique shop in Rio de Janeiro and specialist in sacred art. In the late 1990s, with the passing of his father, Erick decided to devote himself to restoration.

The beginning of the restoration work

Erick identified with sacred art, mainly with imaginary, by the influence of its father and the Machado Antiques. That’s how he made the decision to specialize in restoring images. Erick began to form a library dedicated to the subject, traveling, taking courses and attending congresses. He also participated in church restoration projects where he could see the development of interdisciplinary activities such as carving, painting and gilding.

To restore you must know the styles and history

Erick emphasizes that to develop the restoration of images it is necessary to identify its origins, periods and sculptors. According to him, the signatures of the sculptors are in the way each piece was worked.

Erick points out that Brazilian schools in Bahia and Minas Gerais were the most significant in terms of production, especially in the 18th and 19th centuries. In Bahia, until the beginning of the 19th century, classical images of Baroque and Rococo were produced, mostly marked by polychromy with more vibrant colors. The production from Minas Gerais was characterized by sharp carvings and striking facial expressions. Different from the Bahia school, the Minas Gerais images have, to a large extent, less use of gilding and predominance of earthy tones such as red and ocher.

The production of Rio de Janeiro was marked by Portuguese sculptors who came to live in the city. Erick cites as example the Portuguese Francisco Xavier de Brito who in Rio participated in the construction of the Church of St. Francis of Penance and later worked on the construction of one of the first baroque churches in Minas, the Mother Church in Our Lady of Pilar, located in Ouro Preto. Like Xavier Brito, there are other examples like Francisco Vieira Servas.

Erick also quotes Aleijadinho himself, son of the Portuguese sculptor and architect, Manuel Francisco Lisboa. Born in Ouro Preto, Minas Gerais, Aleijadinho, whose name was Antônio Francisco Lisboa, had the influence of Portuguese carvers and sculptors, such as Xavier de Brito, and several references such as missals and Biblical engravings of the Bavarian Baroque.

According to Erick, styles, their evolutions, and the history of images must be understood to be preserved through restoration.

Restore respecting the marks of time

Erick clarifies that restoration of images must be a punctual process that respects the marks of time. The work must be done with suitable, compatible, inert and reversible materials and products.

Images that remained in oratories and protected by redomas have reached the present day in good condition. The images that were manipulated by devotees can present several characteristics like the black color due to the impregnation of the candle soot or the fat of the kitchens with wood stoves.

The work developed by Erick is premised on removing what is not from the piece. Often the image returns to the original state with the removal of a rusty varnish or layers of paintings made on the original.

Regarding the volumetric reintegration, Erick clarifies that it is necessary to analyze each situation with care. If the image has reached the present day without a part, a hand for example, this is part of the story of the image. There are cases where museological restoration can be done, that is, the reconstitution of the hoist as long as it is evidenced.