A Tony-Car é a maior empresa do Brasil de restauração de carros MP Lafer. Ela foi fundada em 1997 por Antônio Ferreira da Cruz, mais conhecido como Toninho.

Durante sua história, a Tony Car realizou mais de 300 restaurações integrais e uma quantidade superior de restaurações parciais. Segundo Toninho, uma de suas marcas registradas é o melhoramento do acabamento original dos carros. A Tony-Car também presta serviço de manutenção. 

Além da amizade e do respeito, Toninho cuida do MP Lafer do próprio Percival, idealizador do carro.

 

ENGLISH VERSION

 

MP Lafer

A Lafer foi fundada em 1927 por Benjamin Lafer. Ela nasceu como indústria moveleria. Na primeira metade da década de 1970, Percival Lafer, um dos três irmãos-proprietários da companhia, decidiu projetar um carro de fibra de vidro cuja carroceria fosse encaixada no chassi do Fusca. Para Percival Lafer, era possível fabricar carrocerias de automóveis pois a empresa produzia fibra-de-vidro, espuma e estruturas metálicas, além de ter uma tapeçaria.

 

O carro projetado foi inspirado no MG-TD 1952 fabricado pela MG (Morris Garage). Seu primeiro nome foi MGT 1973. Logo depois, o carro passou a adotar a marca e o nome da companhia: MP Lafer. A sigla MP significa “Móveis Patenteados”. Antes mesmo do nascimento do carro, os móveis fabricados pela Lafer já levavam a marca MP.

 

O carro foi apresentado ao público pela primeira vez em 1972 no VIII Salão do Automóvel. Em 1973, ele foi exposto pela primeira vez no exterior, na feira Brasil Export realizada em Bruxelas. Nessa feira, a Lafer recebeu cerca de 100 pedidos de compra do novo carro. O sucesso do MP Lafer gerou um grande desconforto com a MG, que após muito resistir, acabou dando a licença para a fabricação da réplica. Além dos carros serem muito parecidos externamente, o logotipo das marcas eram praticamente iguais.

 

De 1974, primeiro ano de produção, a 1990, último ano de montagem, foram produzidos aproximadamente 4.300 carros. Destes, estima-se que 1.500 tenham sido exportados para os Estados Unidos, Alemanha, Japão, Oriente Médio e, principalmente, Itália.

 

Toninho

Toninho trabalhava como gerente de um posto de gasolina quando viu um MP Lafer pela primeira vez. A beleza do carro lhe chamou a atenção. Pouco tempo depois, em 1975, ele viu num jornal que a Lafer estava contratando pessoas para diversas funções, tanto na área de móveis quanto de carros. Toninho foi à empresa, preencheu uma ficha e foi contratado como ajudante geral para trabalhar na linha de produção de carros. Seu primeiro trabalho era rebarbar com lixadeira as peças de fibra-de-vidro recém fabricadas. Em seguida, passou a trabalhar com a modificação do chassi para montagem do carro. Nessa etapa, os bancos do MP Lafer eram montados na posição dos bancos traseiros do Fusca, fazendo com que o câmbio e a pedaleira também fossem recuados. Toninho conheceu toda a linha de produção do carro, passando por áreas como montagem, elétrica, serralheria e mecânica. No decorrer de sua história na Lafer, Toninho também viu o projeto do Lafer II em 1977.

 

O Lafer II era um carro moderno, sofisticado e de alto luxo, projetado para ocupar o espaço dos carros estrangeiros cuja importação havia sido suspensa no ano anterior, em 1976. Consta a informação de que oito carrocerias foram feitas, cinco foram finalizadas e apenas três chegaram aos dias atuais, estando elas em coleções particulares.

 

O fim da linha de produção

A fabricação de peças terminou em 1988. Os anos de 1989 e 1990 foram dedicados a montagem dos últimos carros. Com o fim da linha de produção, Toninho passou a trabalhar de forma autônoma. Depois de fazer diversos trabalhos relacionados ao carro, ele improvisou uma oficina em sua casa para prestar serviços de manutenção. Como a manutenção dos carros era feita na própria Lafer, Toninho passou a ser procurado por muitos proprietários. Foi assim que ele conheceu Marco Antônio de Oliveira Neto e Walter Barboza de Arruda, dois dos primeiros clientes que entregaram a Toninho a missão de restaurar seus carros. Isso foi em 1996. Um ano depois, em 1997, o Clube do MP Lafer do Brasil e a Tony-Car Restaurações eram fundados.

 

Os MP Lafer que foram exportados

Existem carros que foram exportados e que estão em boas condições, mas Toninho acredita que isso seja uma minoria das estimadas 1.500 unidades exportadas. Ele acredita que muitos estão parados por falta de peças de reposição, devido a inexistência das mesmas no exterior, ou por problemas com a carroceria de fibra-de-vidro. Toninho destaca que as peças eram produzidas manualmente e que o processo de fabricação de fibra-de-vidro da Lafer era completamente distinto ao utilizado pela fábricas no exterior.

 

Agradecimento: Walter Barboza de Arruda, Presidente do Clube do MP Lafer do Brasil

 

FOTOS

 

Tony-Car Restaurações
Toninho
Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco nº 2731, Vila Alves Dias, São Bernardo do Campo-SP
Telefone: 55-11-4352-0901
http://www.mplafer.net/
http://www.percivallafer.com/

 

 

TONY CAR – RESTORATION OF MP LAFER CARS

 

Tony-Car is the largest MP Lafer car restoration company in Brazil. It was founded in 1997 by Antônio Ferreira da Cruz, better known as Toninho.

During its history, Tony Car has performed more than 300 MP Lafer’s full restorations and a greater amount of partial restorations. According to Toninho, one of his trademarks is the improvement of the original finish of the cars. Tony Car also provides maintenance services.

Besides the friendship and respect, Toninho takes care of the MP Lafer of the own Percival Lafer.

 

MP Lafer

Lafer was founded in 1927 by Benjamin Lafer. It was born as a furniture industry. In the first half of the 1970s, Percival Lafer, one of the company’s three brothers-owners, decided to design a fiberglass car whose body was embedded in the Beetle’s chassis. For Percival Lafer, it was possible to manufacture car bodies because the company produced fiberglass, foam and metal structures, as well as having a tapestry.

 

The car designed was inspired by MG-TD 1952 manufactured by MG (Morris Garage). His first name was MGT 1973. Soon after, the car started to adopt the brand and the company name: MP Lafer. The acronym MP stands for “Patented Furniture”. Even before the birth of the car, the furniture manufactured by Lafer already carried the MP mark.

 

The car was first introduced to the public in 1972 at the 8th Motor Show in São Paulo, Brazil. In 1973, it was exhibited for the first time abroad, at the Brasil Export Fair held in Brussels. At this fair, Lafer received about 100 orders to purchase the new car. The success of MP Lafer generated a great discomfort with MG, who after much resistance, ended up giving the license to manufacture the replica. Aside from the cars being very similar externally, the trademarks logo were practically the same.

 

From 1974, the first year of production, to 1990, the last year of assembly, approximately 4,300 cars were produced. Of these, an estimated 1,500 have been exported to the United States, Germany, Japan, Middle East and especially Italy.

 

Toninho

Toninho worked as a gas station manager when he saw a MP Lafer for the first time. The beauty of the car caught his eyes. Shortly after, in 1975, he saw in a newspaper that Lafer was hiring people for various functions, both in furniture and cars. Toninho went to the company, filled out a file and was hired as a general helper to work on the car production line. His first job was to grind the newly manufactured fiber-glass pieces with sander. Then he started to work on modifying the chassis to fit the car. At this stage, the MP Lafer seats were mounted in the position of the rear seats of the Beetle, making the gearbox and pedalboard also be retracted. Toninho knew the whole car production line, passing through areas such as assembly, electrical, locksmithing and mechanics. In the course of his history in Lafer, Toninho also saw the Lafer II project in 1977.

 

The Lafer II was a sophisticated, high luxury and modern car projected to occupy the space of foreign cars whose importation had been suspended in the previous year, in 1976. It is reported that eight bodies were made, five were finished and only three have reached the present day, being in private collections.

 

The end of the production line

The manufacture of parts finished in 1988. The years of 1989 and 1990 were dedicated to assemble the last cars. With the end of the production line, Toninho began to work autonomously. After doing several car-related jobs, he improvised an auto repair workshop in his home to attend MP Lafer cars. As the maintenance of the cars was done in the own Lafer, Toninho began to be looked for by many owners. That was how he met Marco Antônio de Oliveira Neto and Walter Barboza de Arruda, two of the first customers who handed Toninho with the mission to restore their cars. That was in 1996. A year later, in 1997, the Club of MP Lafer of Brazil and Tony-Car Restorations were founded.

 

The MP Lafer that were exported

There are cars that were exported and are in good conditions, but Toninho believes that this is a minority of the estimated 1,500 units exported. He believes that many are stuck for lack of spare parts, due to lack of them abroad, or for problems with the fiberglass body. Toninho points out that the parts were produced manually and the Lafer’s fiber-glass manufacturing process was completely different from that used by factories abroad.

 

Acknowledgments: Walter Barboza de Arruda, President of MP Lafer Club of Brasil

 

Tony-Car Restaurações
Toninho
Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco nº 2731, Vila Alves Dias, São Bernardo do Campo-SP
Phone number: 55-11-4352-0901
http://www.mplafer.net/
http://www.percivallafer.com/

 

FOTOS / PHOTOS