A Galeria Brasiliana é dedicada à Arte Popular Brasileira. Ela foi fundada por Roberto Rugiero e busca promover os mais autênticos escultores, ceramistas, pintores, desenhistas e artesões artistas, tendo como ponto de partida a excelência da obra, e não o currículo.

 

Roberto Rugiero

Seu aparecimento coincide com o momento de transformação do mercado, a partir da década de 1960, onde desponta a importante contribuição do italiano Giuseppe Baccaro. Fundador da Casa dos Leilões, Baccaro recolocou no cenário artistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Flávio de Carvalho e Ismael Nery. Com ousadia, ele mesclava arte erudita com arte popular, numa atitude similar ao casal Pietro e Lina Bo Bardi, igualmente muito ativos no reconhecimento e divulgação dos artistas de raiz brasileira.

Na década de 1970, Rugiero trabalhou com Franco Terranova, Ralph Camargo e Ricardo Camargo, além da Galeria Shopping News. Nesse período, dedicou-se a artistas como Agostinho Batista de Freitas, José Antônio da Silva, Mirian, Maria Auxiliadora, Ranchinho e Manuel Martins, um dos integrantes do Grupo Santa Helena, além de Heinz Kühn, alemão radicado no Brasil. Foi o primeiro marchand a reconhecer o trabalho do artista ítalo-brasileiro Amadeo Lorenzato.

 

Nasce a Galeria Brasiliana

Em 1981, Rugiero abriu a Galeria Brasiliana. Já na sua primeira fase, a Galeria era dedicada à Arte Popular e ficou aberta até 1984. A partir desse ano, Rugiero passou a desenvolver uma parceria com o antiquário Paulo Vasconcellos, e formou a coleção de arte popular da FAAP.  Realizou inúmeros leilões de arte e antiguidades em várias cidades paulistas, além de mostras pontuais em outros Estados, onde sua coleção de arte popular começou a ganhar notoriedade. No final dos anos 1990, a Brasiliana foi reaberta oficialmente.

 

A Arte Popular Brasileira

Para Rugiero, a Arte Popular Brasileira, hoje chamada por ele de Arte Espontânea, caracteriza-se por ser uma arte direta, que prescinde de explicações e é plena de espiritualidade e beleza. Ela entrou num processo crescente de valorização estimulado pelo impacto causado pelo Módulo de Arte Popular, o grande sucesso da Mostra do Redescobrimento, em 2000.

Em 2016, Rugiero exerceu a consultoria da Exposição Viva o Povo Brasileiro, uma das mais importantes dos últimos anos, realizada por Denise Mattar no Centro Cultural Correios, no Rio, e que teve como base as coleções particulares de João Maurício de Araújo Pinho e Irapoan Cavalcanti, formadas em grande parte sob sua orientação.

 

Reliquiano-Galeria-Brasiliana-Roberto-Rugiero-Arte-Popular-Brasileira-3

Desigualdade Social, Antônio Julião, 2004, madeira, 197 cm de altura

Reliquiano-Galeria-Brasiliana-Roberto-Rugiero-Arte-Popular-Brasileira-2Reliquiano-Galeria-Brasiliana-Roberto-Rugiero-Arte-Popular-Brasileira-4

Reliquiano-Galeria-Brasiliana-Roberto-Rugiero-Arte-Popular-Brasileira-5

Folclore, Alina Lins, 2007-2008

Reliquiano-Galeria-Brasiliana-Roberto-Rugiero-Arte-Popular-Brasileira-6

 

Galeria Brasiliana

Rua Cardoso de Almeida nº 1297, Perdizes, São Paulo-SP

Telefone: 55-11-3086-4273

E-mail: galeria@galeriabrasiliana.com.br

http://www.galeriabrasiliana.com.br/