Hebert Gomes nasceu em Aymorés, Minas Gerais. Filho de Francino e Eugenia, ele foi criado junto a família de sua mãe e era um admirador dos seus avós maternos. Seu avô, João Cesar, nasceu na Alemanha e marcou a história da cidade: cuidava da banda de música, inaugurou o primeiro cinema, foi o primeiro delegado e teve o primeiro automóvel. Sua avó, Palmira, nasceu na Itália e era apaixonada por antiguidades, gosto que foi herdado por Hebert e por sua mãe. Com o falecimento do seu avô, sua família passou a dar assistência à sua avó. Hebert costumava ir à sua casa para limpar seus móveis e peças antigas. Em troca, era presenteado com alguma antiguidade.

Concluído o Primário, Hebert se mudou para Belo Horizonte para fazer o Ginásio. Passou a estudar no Colégio Arnaldo enquanto almejava cursar Medicina. Por gostar de atividades físicas, foi convidado pelo bailarino Carlos Leite, Professor de Ballet do Teatro Francisco Nunes, para estudar dança. Gostou e passou a se dedicar com seriedade às aulas. Em pouco tempo, dançava em programas da TV Itacolomi.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1959 para fazer o vestibular de medicina, pois havia perdido o de Belo Horizonte. Depois de perder o vestibular do Rio, ingressou na Escola de Ballet Maria Olenewa, onde permaneceu até 1963, quando foi levado para o Corpo de Baile pela coreógrafa Eugenia Feodorova. Em 1967, deixou o Corpo de Baile depois de passar em primeiro lugar no concurso para bailarino estatutário do Teatro Municipal, sendo então nomeado pelo Governador Francisco Negrão de Lima. Com isso, desistiu em definitivo da medicina. Além dos espetáculos do Teatro Municipal, dançou também na Argentina, Chile e Peru. No México, dançou com Amália Hernandez, considerada uma das maiores bailarinas da história mexicana.

Enquanto trabalhou no Corpo de Baile do Teatro Municipal, Hebert nunca deixou de dar atenção a sua paixão pelas antiguidades. Sempre que viajava, aproveitava para conhecer antiquários e comprar objetos. Em 1976, dois anos após o falecimento do seu pai, sua mãe se mudou para sua casa, levando consigo suas antiguidades. Com a casa repleta de coleções, os dois começaram a pensar em abrir um antiquário.

Hebert parou de dançar em meados da Década de 1980. Ele tinha claro que não queria trabalhar com dança após deixar o Corpo de Baile. Assim, incentivado por Johnny Chartouny, começou a trabalhar com antiguidades. Foi nesse período que ele conheceu seu sócio, Róbson Santiago, com quem trabalha desde então. No Rio, Hebert e Róbson trabalharam nas Feiras da Praça XV e de Petrópolis; em São Paulo fizeram as Feiras do Iguatemi, Bixiga, Masp, Benedito Calixto e Mube, e, apesar da distância, fizeram duas vezes a Feira de Brasília. Com a intensa atividade, passaram a sentir a necessidade de ter uma referência, uma loja física. Em 1987, foi aberto o Hebert Antiguidades.

O Hebert Antiguidades é um antiquário clássico que desde o início de sua história trabalha com Arte Sacra Barroca, cristais, mobiliário brasileiro e português dos Séculos XVII, XVIII e XIX, porcelanas, pratarias, peças em Bronze e Marfim, e, em casos especiais, Art Deco e Art Nouveau.

 

IMG_3111IMG_3112IMG_3113IMG_3129IMG_3118IMG_3122IMG_3119IMG_3125IMG_3137IMG_3116IMG_3132

 

Hebert Antiguidades

Hebert Gomes e Róbson Santiago

Rua Siqueira Campos nº 143, Sobreloja 113 a 116, Shopping dos Antiquários, Copacabana, Rio de Janeiro-RJ

Telefones: 55-21-2255-3433 e 55-21-2549-0502

E-mail: hebertart@hotmail.com