O Flamengo conquistou seus dois primeiros tricampeonatos do Rio de Janeiro, Distrito Federal, nas Décadas de 40 e de 50, ao vencer os campeonatos de 1942, 1943 e 1944, e 1953, 1954 e 1955.

O primeiro tricampeonato rubro-negro: 1942, 1943 e 1944

O campeonato de 1942 foi disputado por 10 clubes no sistema de pontos corridos em três turnos. O Flamengo sagrou-se campeão ao somar 45 pontos com 20 vitórias, 5 empates e duas derrotas. O Botafogo terminou na segunda colocaçao com 44 pontos. A última partida do Flamengo foi disputada no dia 11/10/1942, quando o time empatou em 1×1 com o Fluminense nas Laranjeiras. Contudo, o título não pôde ser comemorado naquele momento pois o Botafogo entrou com um recurso pedindo os pontos do empate em 3×3 com o São Cristóvão (13/09/1942) pela vigésima-terceira rodada. Depois de 140 dias, o recurso do Botafogo foi indeferido e o Flamengo pôde finalmente comemorar o Campeonato Carioca de 1942.

Em 1943, o campeonato foi disputado por 10 clubes no sistema de pontos corridos com turno e returno, diferente do campeonato de 1942 que teve três turnos. O Flamengo sagrou-se pela terceira vez em sua história bicampeão carioca ao somar 28 pontos com 11 vitórias, 6 empates e apenas uma única derrota (America 2×1, 04/07/1943). O Fluminense terminou na segunda colocação com 27 pontos. Foi nesse campeonato que o Flamengo aplicou a sua maior goleada sobre o Vasco: 6×2, gols de Pirillo (dois), Perácio (dois), Zizinho e Vevé (03/10/1943).

Em 1944, o Flamengo lutaria pela terceira vez em sua história pelo inédito tricampeonato. Nas outras duas oportunidades, após o bicampeonato de 1914 e 1915 e de 1920 e 1921, o America evitou o tricampeonato rubro-negro ao conquistar os campeonatos de 1916 e 1922. Mas isso não se repetiria.

O campeonato de 1944 foi disputado nos mesmos moldes do campeonato de 1943: 10 clubes, pontos corridos com turno e returno. Flamengo e Vasco chegaram a última rodada do campeonato empatados com 26 pontos. Detalhe: eles se enfrentariam na última rodada. Por mais que fosse dentro do sistema de pontos corridos, esse jogo acabou sendo a decisão do campeonato. No dia 29/10/1944, no Estádio da Gávea, o Flamengo venceu o Vasco por 1×0, gol de Valido aos 41 minutos do segundo tempo, e conquistou o seu primeiro tricampeonato.

No total, o Flamengo somou 28 pontos, contra 26 do Vasco, tendo obtido treze vitórias, dois empates e três derrotas. Um dos resultados mais expressivos da campanha foi a goleada de 6×1 sobre o Fluminense, pela penúltima rodada do campeonato (22/10/1944), com gols de Pirillo (2), Tião, Bria, Jaime e Zizinho.

O America, que havia evitado o primeiro tricampeonato rubro-negro em outras duas oportunidades, terminou o campeonato na 5ª colocação.

O primeiro tricampeonato rubro-negro teve como grande maestro Zizinho, também conhecido como Mestre Ziza. Zizinho foi um dos artilheiros da equipe: 11 gols em 1942, 7 em 1943 e 8 em 1944. Pirillo foi o artilheiro rubro-negro dos títulos de 1942 e 1944, com 22 e 14 gols, respectivamente. Em 1943, ele foi o vice-artilheiro com 12 gols, ficando atrás de Perácio com 14.

Em 1945, o Flamengo não repetiu as campanhas de 1942, 1943 e 1944, e terminou na quarta colocação. O campeonato foi disputado por 10 clubes em sistema de pontos corridos com turno e returno. O Vasco conquistou o título de forma invicta tendo somado 31 pontos com 13 vitórias e 5 empates. O Botafogo terminou na segunda colocação com 27 pontos. O título do Vasco de 1945 marcaria o início do “Expresso da Vitória”, período no qual o Vasco venceria o campeonato carioca de 1945, 1947, 1949, 1950 e 1952.

Depois do tricampeonato de 1942, 1943 e 1944, o Flamengo voltaria a conquistar o campeonato em 1953, dando início ao seu segundo tricampeonato, o primeiro no Maracanã, e marcando o fim dos anos de supremacia do “Expresso da Vitória”.

O segundo tricampeonato rubro-negro: 1953, 1954 e 1955

O campeonato de 1953 foi disputado por 12 clubes. A primeira fase seria disputada por pontos corridos em turno e returno, onde os 6 primeiros colocados se classificariam para o terceiro turno. O Flamengo terminou a primeira fase na primeira colocação com 36 pontos, um ponto a frente de Botafogo e Fluminense (35). O clube obteve 16 vitórias, 4 empates e duas derrotas. O Vasco, campeão de 1952, terminou na quarta colocação, seis pontos atrás do Flamengo.

No terceiro turno o Flamengo foi simplesmente avassalador, tendo vencido todos os seus 5 jogos, conquistando os 10 pontos em disputa. O título rubro-negro foi conquistado com uma rodada de antecedência. O Fluminense ficou na segunda colocação com apenas 6 pontos (três vitórias e duas derrotas).

O campeonato de 1954 seria disputado nos mesmos moldes do campeonato de 1953: 12 clubes disputariam a primeira fase por pontos corridos com turno e returno para a definição dos 6 clubes que disputariam o terceiro turno. Terminada a fase classificatória, novamente o Flamengo ficou em primeiro lugar, tendo somado 35 pontos com 15 vitórias, 5 empates e apenas duas derrotas. O Bangu terminou na segunda colocação com um ponto a menos (34).

O Flamengo quase repetiu o 3º turno de 1953. Em 5 jogos, foram 4 vitórias e um empate (3×3 Fluminense, 30/01/1955). O America terminou na segunda colocação tendo somado 7 pontos com 4 vitórias, um empate e uma derrota. Sua única derrota foi justamente para o Flamengo (3×2, 03/02/1955).

O Flamengo era novamente bicampeão carioca e buscaria o seu segundo tricampeonato em 1955.

O Campeonato de 1955 seria disputado nos mesmos moldes dos campeonatos de 1953 e 1954. Até mesmo a primeira fase terminou da mesma forma que nos dois anos anteriores: o Flamengo terminou na primeira colocação tendo somado 36 pontos com 17 vitórias, dois empates e três derrotas. O Vasco terminou na segunda colocação com um ponto a menos (35). Como no campeonato carioca de 1944, um dos resultados mais expressivos obtidos pelo Flamengo na primeira fase foi a goleada de 6×1 sobre o Fluminense, gols de Paulinho (3), Dida (2) e Joel (18/12/1955).

Seria apenas uma questão de tempo para que o Flamengo vencesse o terceiro turno e conquistasse o segundo tricampeonato.

O problema foi que, justamente no terceiro turno, o Flamengo parou. Em 5 jogos, foram apenas duas vitórias e três derrotas (America 3×1, 19/02/1956; Fluminense 3×2, 29/02/1956; Vasco 2×1, 18/03/1956). Ou seja, apenas no terceiro turno com cinco jogos, o Flamengo teve a mesma quantidade de derrotas da primeira fase em que jogou vinte e duas vezes.

O America venceu o terceiro turno tendo somado 9 pontos com quatro vitórias e apenas um empate (3×3 Vasco, 07/03/1956). O Fluminense terminou na segunda colocação tendo somado 7 pontos com três vitórias, um empate e uma derrota (America 2×0, 17/03/1956).

O campeonato de 1955 seria decidido entre o Flamengo, vencedor da primeira fase (1º e 2º turno), e o America, vencedor do 3º turno. Como em 1916 e 1922, o America poderia evitar um novo tricampeonato rubro-negro.

No primeiro jogo, no dia 26/03/1956, o Flamengo venceu o America por 1×0, gol de Evaristo de Macedo. Bastaria uma nova vitória para conquistar o campeonato. O problema é que no dia 01/04/1956, na segunda partida da decisão, o America não tomou conhecimento do Flamengo e o goleou por 5×1. Os gols do America foram marcados por Ferreira, Alarcon, Canário, Leônidas e Romeiro. O gol do Flamengo foi marcado por Joel.

O título, e o segundo tricampeonato da história rubro-negra, estavam ameaçados.

A decisão do campeonato ficou para a terceira e última partida. No dia 04/04/1956, diante de um público de 139.599 pessoas, Flamengo e America entraram em campo no Maracanã para a decisão do Campeonato Carioca de 1955. Da mesma forma que o America na segunda partida da decisão, o Flamengo não tomou conhecimento da equipe americana e a goleou por 4×1 com três gols de Dida e um de Édson (contra). O gol de honra do America foi marcado por Romeiro.

Com essa vitória, o Flamengo conquistou em definitivo o Campeonato Carioca de 1955 e o segundo tricampeonato de sua história.

Os principais jogadores do segundo tricampeonato rubro-negro foram Joel, Dida e Evaristo de Macedo. Benitez, em 1953, e Paulinho, em 1955, foram os artilheiros da equipe e do campeonato com 22 e 23 gols, respectivamente. Em 1954, o artilheiro da equipe foi Indio com 17 gols.

A foto que ilustra esse artigo

Os anos de 1933, 1934, 1935 e 1936 foram marcados pela cisão no futebol carioca que colocou em lados opostos os defensores do amadorismo e do profissionalismo. Durante esses quatro anos, o Rio de Janeiro teve dois campeonatos. Em 1937, os clubes chegaram a um acordo, adotou-se o profissionalismo e unificou-se novamente o campeonato através da Liga de Futebol do Rio de Janeiro. Cabe ressaltar que todos os oito campeões desses quatro anos foram reconhecidos pela Federação como campeões do Rio de Janeiro. Com a reunificação, a partir de 1937 todos os campeões passaram a receber um pequeno bastão que simbolizava a conquista do campeonato. Em alguns anos, os clubes campeões receberam apenas o bastão. Em outros, o bastão e o troféu. Para cada um dos títulos que compõe seus dois primeiros tricampeonatos, o Flamengo recebeu um bastão. Apenas em 1955 o Flamengo recebeu um troféu. A foto no início desse artigo mostra exatamente os seis bastões dos dois tricampeonatos rubro-negros e o troféu de 1955. Os bastões deixaram de ser entregues em 1971.

IMG_2519

Reliquiando…

Zizinho – Tomás Soares da Silva nasceu em São Gonçalo-RJ no dia 14/09/1921. Jogou pelo Flamengo de 1939 a 1950. Foi Campeão Carioca de 1939, 1942, 1943 e 1944; do Torneio Início de 1946 e do Torneio Relâmpago de 1943. Foi o grande maestro no primeiro tricampeonato. Depois do Flamengo, jogou pelo Bangu de 1950 a 1957, tendo conquistado o Torneio Início de 1950, 1951 e 1955, e pelo São Paulo em 1957 e 1958, tendo sido campeão paulista em 1957. Atuou ainda pelo Audax Italiano (Chile) e Uberaba de Minas Gerais. Pela Seleção Brasileira, conquistou a Copa América de 1949 e foi vice-campeão da Copa de 1950, tendo sido considerado o melhor jogador da competição. É considerado um dos maiores jogadores da história do Flamengo, tendo sido seu principal ídolo até o surgimento de Zico. É o nono maior artilheiro da história do clube com 146 gols em 329 jogos. Faleceu no dia 08/02/2002, aos 80 anos, no Rio de Janeiro.

Valido – Augustín Valido nasceu em Buenos Aires no dia 31/01/1914. Jogou pelo Flamengo de 1937 a 1942, tendo sido campeão carioca de 1939 e 1942. Encerrou a carreira no início de 1943, antes do campeonato que seria vencido pelo Flamengo. Tendo deixado os gramados, passou a se dedicar a sua gráfica. Na reta final do campeonato de 1944, foi a Gávea para rever os amigos e jogar uma “pelada”. Supreso com o seu preparo, Flávio Costa lhe pediu para retornar ao Flamengo nas últimas duas partidas do campeonato. Participou da vitória de 6×1 sobre o Fluminense, na penúltima rodada. Adoeceu antes da partida contra o Vasco, pela última rodada, e que decidiria o campeonato. Jogou com 39 graus de febre, marcou o gol da vitória e do título aos 41 minutos do segundo tempo e escreveu seu nome na história do Flamengo. Faleceu no Rio de Janeiro-RJ, aos 84 anos, no dia 23/02/1998.

Evaristo de Macedo – Evaristo de Macedo Filho nasceu no Rio de Janeiro-RJ em 22/06/1933. Jogou por 4 clubes em sua carreira: Madureira, de 1950 a 1952; Flamengo, de 1953 a 1957 e de 1965 a 1967; Barcelona, de 1957 a 1962, e Real Madrid, de 1962 a 1965. Pelo Flamengo foi campeão carioca de 1953, 1954, 1955 e 1965. Na Espanha, foi bicampeão pelo Barcelona em 1958/1959 e 1959/1960 e pelo Real Madrid em 1962/1963 e 1963/1964. Pelo Barcelona também conquistou a Copa del Rey de 1958/1959. Além de todos os títulos conquistados em sua carreira, conseguiu o feito de ser ídolo do Barcelona e do Real Madrid. Está com 83 anos e vive no Rio de Janeiro-RJ.

Dida – Edivaldo Alves de Santa Rosa nasceu em Maceió-AL no dia 26/03/1934. Jogou por quatro clubes em a sua carreira: CSA, de 1950 a 1954; Flamengo, de 1954 a 1963; Portuguesa, de 1964 a 1965, e Atlético Júnior da Colômbia, de 1966 a 1967. Pelo Flamengo, foi campeão carioca de 1953, 1954, 1955 e 1963 e do Torneio Rio x São Paulo de 1961. É o segundo maior artilheiro da história do Flamengo com 264 gols em 357 jogos, atrás apenas de Zico (509 gols em 732 jogos). Faleceu no dia 17/09/2002, aos 68 anos, no Rio de Janeiro-RJ.

Joel – Joel Antônio Martins nasceu no Rio de Janeiro-RJ no dia 23/11/1931. Começou a carreira como jogador pelo Botafogo, tendo sido campeão carioca de 1948. Jogou pelo Flamengo de 1951 a 1958, tendo sido campeão carioca de 1953, 1954 e 1955 e do Torneio Início de 1951 e 1952. Posteriormente, jogou pelo Valencia de 1958 a 1961, retornou ao Flamengo onde atuou de 1961 a 1963 e encerrou a carreira no Vitória, onde jogou nos anos de 1963 e 1964, tendo sido campeão baiano de 1964. Pela Seleção Brasileira, foi Campeão da Copa do Mundo de 1958. Faleceu no dia 01/01/2003, no Rio de Janeiro-RJ, aos 71 anos.

Os técnicos dos tricampeonatos – Os dois primeiros tricampeonatos do Flamengo tiveram uma característica em comum. Cada um teve apenas um único treinador: Flávio Costa foi o treinador do primeiro tricampeonato e Fleitas Solich o do segundo.

Flávio Costa nasceu no dia 14/09/1906 em Carangola-MG. Jogou apenas pelo Flamengo, de 1926 a 1936, tendo sido campeão carioca de 1927. Foi o treinador que mais esteve a frente do clube, 765 jogos, tendo sido campeão carioca em 1939, 1942, 1943, 1944 e 1963; do Torneio Início de 1946, 1951 e 1952 e do Torneio Relâmpago de 1943. Pelo Vasco, foi campeão carioca em 1947, 1949 e 1950; do Torneio Municipal de 1947, do Torneio Início de 1948 e da Copa dos Campeões de 1948. Pela Seleção Brasileira, foi campeão do Sul-Americano de 1949 e vice-campeão da Copa de 1950. Faleceu no dia 22/11/1999, aos 93 anos, no Rio de Janeiro-RJ.

Fleitas Solich nasceu no dia 30/12/1900 em Assunção no Paraguai. Jogou profissionalmente no Paraguai e na Argentina. Como jogador, foi campeão paraguaio pelo Nacional em 1924 e 1926 e campeão argentino pelo Boca Juniors em 1930, 1931, 1934 e 1935. Como treinador, seus principais títulos foram o tricampeonato pelo Flamengo de 1953, 1954 e 1955 e o primeiro Campeonato Sul-Americano conquistado pelo Paraguai em 1953. Faleceu no dia 24/03/1984, aos 83 anos, no Rio de Janeiro-RJ.

As datas dos campeonatos de 1953, 1954 e 1955 – Os campeonatos de 1953, 1954 e 1955 começaram a ser disputados no segundo semestre dos respectivos anos e terminaram no início do ano seguinte. O terceiro turno do campeonato de 1955 foi concluído em março de 1956. Com as três partidas decisivas entre Flamengo e America, o campeonato somente foi definido no dia 04/04/1956. Naquela época, o primeiro semestre era dedicado a disputa do Torneio Rio x São Paulo, amistosos e excursões.

Padre Góes – Padre Góes foi o Pároco da Capela de São Judas Tadeu, no Cosme Velho, entre as décadas de 50 e 60. Torcedor fanático do Flamengo, Padre Góes rezava missas na Gávea, benzia os jogadores no vestiário e os convidava para que fossem a Capela para rezar e acender velas. Seus sermões eram feitos tendo um escudo do Flamengo exposto.

Antes do campeonato de 1953, o Flamengo estava há oito anos sem conquistar o campeonato carioca. Seu último campeonato havia sido vencido em 1944, quando se sagrou tricampeão pela primeira vez. O tricampeonato de 1953, 1954 e 1955 foi conquistado sob as benções de Padre Góes e a proteção de São Judas Tadeu, que se tornou padroeiro do Flamengo.

Agradecimentos: Gabriela Dias Gomes da Silva, Taísa Pires, André Fernandes, Rafael Freitas Levy e Lui Marinho.

Referências:

História dos Campeonatos Cariocas de Futebol, 1906-2010/Roberto Assaf, Clovis Martins. – Rio de Janeiro: Maquinaria, 2010.

Rec.Sport.Soccer Statistics Foudation, http://www.rsssf.com:

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1942.htm

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1943.htm

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1944.htm

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1953.htm

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1954.htm

http://www.rsssfbrasil.com/tablesr/rj1955.htm