Quando criança, Wagner Willik frequentava a oficina mecânica do seu pai enquanto os meninos de sua rua jogavam bola. Para que se sentisse mais a vontade, ele vestia um pequeno macacão de mecânico feito por sua mãe.

Inicialmente, Wagner trabalhou em empresas. Como hobby, ele mexia com carros e montava buggies. Em 1975, seu pai se aposentou da Rede Ferroviária Federal onde cuidava da frota rodoviária da empresa. Graças a ajuda de Wagner, seu pai, já aposentado, começou a trabalhar na oficina de restauração de Romeu Siciliano na segunda metade da Década de 1970.

Em 1979, Wagner abriu sua primeira oficina e trouxe seu pai para cuidar dela. Foi em sua oficina que Wagner montou um Jeep pela primeira vez.

No Salão do Automóvel Antigo de 1985, Wagner conheceu Nelson de Almeida Filho, fundador do primeiro Jeep Club do Brasil. Ele se associou ao Clube, começou a participar dos eventos e em pouco tempo era um dos seus diretores. Foi também em meados da Década de 1980 que Wagner começou a restaurar Jeeps e viaturas militares.

Em 1987, a empresa americana R.J. Reynolds, fabricante do cigarro Camel, convidou o Jeep Club do Brasil para fazer a seleção de pilotos brasileiros que disputariam o Camel Trophy de 1987 em Madagascar. Por sua vez, o Jeep Club convidou Wagner para fazer a preparação e acompanhamento dos carros que seriam utilizados pelos pilotos na fase classificatória que seria disputada no Brasil. Wagner voltou a trabalhar nas classificatórias de 1988 e 1989 para as disputas em Sulawesi, na Indonésia, e no Amazonas, no Brasil.

Em 2003, Wagner passou a dar uma atenção especial aos carros antigos. Em 2010, tomou uma importante decisão: abriu uma oficina para atendimento exclusivo e artesanal. Focou numa clientela extremamente selecionada que precisava de um atendimento de qualidade e de conhecimentos específicos. Sua oficina possui uma única vaga para atendimento. Desde então, Wagner especializou-se, principalmente, na mecânica de carros antigos fabricados nos Estados Unidos e na Europa.

Entre os carros americanos que Wagner cuidou recentemente estão os conversíveis Mercury 1948, Cadillac 1950 e Corvair 1964, o Ford Python 1937 e o Thunderbird 1963. Entre os Europeus, estão o MGA 1960, MG 1968, Rover 1953, Rolls Royce 1956 e o Fiat 850 Spider 1967. A foto que ilustra esse artigo é de um MG 1971 que está sendo cuidado atualmente. Wagner cuida de coleções inteiras de carros antigos (nacionais, americanos e europeus), como por exemplo, a de Mônica Siciliano, filha de Romeu Siciliano, e trabalha em parceira com a Premium Garage, uma das principais empresas de restauração de carros antigos de São Paulo.

 

IMG_2907

Foto 1 – A oficina de Wagner Willik.

IMG_2908

Foto 2 – O motor do MG 1971 que está sendo cuidado por Wagner.

 

Wagner Willik

Mecânica Especializada em Autos Antigos

Avenida Marcondes de Brito nº 430, São Paulo-SP

Telefone: 55-11-99902-2785

E-mail: offroadqt@ig.com.br