O Museu Aeroespacial Brasileiro possui um avião extremamente especial no seu acervo. Trata-se do último exemplar do FW-58-B2 Weibe no mundo. Nem mesmo a Alemanha, que foi seu maior usuário, possui um exemplar desse avião em seus museus.

O FW-58 é um avião que não será visto em filmes e dificilmente será mencionado em livros. Contudo, foi um avião muito importante para o ressurgimento da Luftwaffe na década de 30 e para sua preparação para a Segunda Guerra Mundial.

Seu primeiro vôo foi realizado em 1935, tendo entrado em serviço em 1937. Os FW-58 realizavam as mais diversas funções como, por exemplo, treinamento avançado para bimotores, transporte, ambulância e reconhecimento aéreo.

No final da década de 30, o Brasil adquiriu um lote de 26 FW-58-B2 sendo que 11 foram montados com a supervisão alemã e 15 seriam fabricados sob licença. Sendo mais preciso, a licença adquirida para fabricação era de 25 unidades, mas com o decorrer da Segunda Guerra Mundial, 10 foram canceladas.

Esses aviões foram utilizados inicialmente pela Aviação Naval Brasileira. Em Jan/1941, os aviões da Aviação Naval da Marinha, incluindo os FW-58-B2, e os aviões da Aviação Militar do Exército foram transferidos para o Ministério da Aeronáutica, passando a ser operados pelas Forças Aéreas Nacionais. Em Mai/1941 as Forças Aéreas Nacionais passaram a se chamar Força Aérea Brasileira (FAB). Os FW-58-B2 desempenharam funções de patrulhamento da costa, treinamento e tarefas do Correio Aéreo Nacional.

Um ponto interessante é que além dos 26 FW-58-B2 que foram adquiridos pelo Brasil, em 1942 o governo brasileiro requisitou à empresa aérea Syndicato Condor os seus dois FW-58Ki-2. Do total de 28 FW-58 brasileiros, esses foram os dois únicos exemplares civis utilizados pela FAB e que foram construídos na Alemanha.

A maioria dos FW-58-B2 foram sendo desativados no decorrer da década 40, principalmente na segunda metade. Alguns foram cedidos ao Ministério da Agricultura e ao Governo do Estado de Goiás. Os últimos dois FW-58-B2 voaram até 1958.

O exemplar exposto no Musal possui a matrícula AT-Fw-1530. Esse avião tem como origem o FW-58-B2 matriculado como AT-Fw-58 1530 que era a reconstrução da fuselagem do AT-Fw58 1184 com partes de outros FW-58-B2. Esse avião foi encontrado em 1978 em Minas Gerais, restaurado e incorporado ao acervo do Musal no dia 16 de outubro de 1998.

Além do Brasil na América do Sul, a Argentina utilizou 3 FW-58-B2. Esses aviões foram utilizados pelo Exército em funções de observação e treinamento avançado das tripulações dos Martin 139WAA. Eles foram adquiridos em 1938 e desativados em 1946. Infelizmente, nenhum dos três FW-58-B2 utilizados pela Argentina existe mais.

Existe um FW-58 no fundo do Lago Du Bourget, próximo a Lyon, França, que é frequentemente visitado por mergulhadores.

Reliquiando…

Syndicato Condor – O Syndicato Condor foi uma companhia aérea que operou no Brasil do final da Década de 20 ao início da Década de 40, tendo realizado o primeiro vôo comercial no Brasil. Ela teve como origem o Condor Syndikat, uma empresa alemã cujo objetivo era a venda de aviões alemães na América do Sul e Central. Uma das acionistas do Condor Syndicat era a Deutchers Aero Lloyd que em janeiro de 1926 se fundiu com a Junkers Luftverkehr para formar a Deutche Lutf Hansa. Com o início da Segunda Guerra Mundial e o alinhamento do Brasil com os Aliados, o Syndicato Condor passou a enfrentar uma série de dificuldades para continuar operando, chegando a paralizar suas operações. Em agosto de 1941 seu nome foi mudado para Serviços Aéreos Condor e, em janeiro de 1943, seu nome foi mudado para Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul. O Syndicato Condor operou diversos aviões no Brasil, inclusive dois magnifíficos FW-200 que, infelizmente, não existem mais.

Referências

Focke Wulf 58 Weibe, História da Força Aérea Brasileira

http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/br/fw-58.html

Focke Wulf Fw.58B-2 Weibe, Aviación Militar Argentina

http://www.amilarg.com.ar/fw.58b.html

FW-58 2

FW-58 3

Essa filmagem pertence a Deep CCR Tartiflette Team (http://www.lac-du-bourget.fr/)

Museu Aeroespacial – Musal

Base Aérea dos Afonsos, Avenida Marechal Fontenele nº 2000, Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro-RJ

Telefone: 21-2157-2899